fbpx

Fintechs deverão ter a mesma política de relacionamento de bancos tradicionais

Posted by on

De acordo com Otavio Damaso, diretor de regulação do Banco Central (BC), a consulta pública 78, que deve elevar as obrigações de capital para as fintechs, deverá ser encerrada nos próximos meses, no máximo. Ela colocou as novas instituições de pagamentos e os bancos tradicionais em divergência.

As políticas de relacionamento com clientes ficarão iguais para fintechs e bancos tradicionais. O BC aprovou resolução que institui a exigência e divulgou o seguinte comunicado:

“A política de relacionamento deverá nortear a condução das atividades das instituições em conformidade com os princípios de ética, responsabilidade, transparência e diligência, propiciando a convergência de interesses e a consolidação de imagem institucional de credibilidade, segurança e competência”, informou o Banco Central.

Segundo informações do portal O Globo, a nova exigência deverá entrar em vigor somente no dia 1° de outubro de 2022, tempo que o BC julga necessário para que as mudanças sejam implementadas.

Com essa nova medida, o BC almeja alinhar os interesses das instituições ao dos clientes e encontrar padronização. A instituição também complementou que “com essa regulamentação, todas as instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central passam a ser sujeitas às mesmas exigências relativas ao relacionamento com clientes e usuários.

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) afirmou em nota que a medida é positiva e que será um passo importante para a igualdade entre as instituições bancárias, além da exigência tornar a relação com o cliente mais transparente.

“A FEBRABAN entende ainda que todas as instituições que ofertam produtos e serviços financeiros aos consumidores já estão sujeitas ao Código de Defesa do Consumidor e devem também estar sujeitas às mesmas regras regulatórias que tratam do relacionamento com o cliente”, destacou a instituição.

América Latina já possui 23 unicórnios

Os investimentos de capital em startups continuam aumentando. Agora, ao menos 23 startups latino-americanas são avaliadas em mais de U$ 1 bilhão, de acordo com relatório divulgado pela plataforma Crunchbase.

Boa parte dos investimentos aconteceram em 2021, quando 15 empresas fizeram séries de incentivos financeiros. O grande destaque ficou com as fintechs, onde o Nubank, banco digital brasileiro, levantou US$ 750 milhões.


Escrito por Marcos Ferreira, assistente de conteúdo da Drummond Advisors

Leia mais em:

Startups voltam olhares para novo mercado

Caipirinhas e fintechs