Vistos e Residência

Green Card EB1-A: saiba como imigrar para os EUA sem uma oferta de trabalho

Você sonha em se mudar para os Estados Unidos, mas não possui uma oferta de trabalho? Conheça o Green Card EB1-A! Destinado a pessoas com habilidades extraordinárias, ele pode ser a sua chave para a residência permanente nos EUA. Aplicação por habilidades extraordinárias com o Green Card EB1-A: Para esse tipo de aplicação o/a requerente deve comprovar que está dentro dos 10% dos profissionais mais qualificados e renomados da sua área de atuação. Isso significa que indivíduos elegíveis ao EB1-A precisam comprovar que além de uma performance assídua enquanto profissional de determinado ramo é uma referência para o mercado, atuando como indutores da área e ditando tendências. A legislação americana lista 10 requisitos para requerer este Green Card. É necessário possuir pelo menos três deles para solicitar o EB1-A. Confira todos os requisitos: Se seu perfil se encaixa para um EB1-A, clique aqui. Escrito por Marcos Ferreira, Analista de Conteúdo da Drummond Advisors

Green Card EB1-A: saiba como imigrar para os EUA sem uma oferta de trabalho Read More »

Debate Sobre Imigração nos EUA: Juiz americano impede aplicação da lei texana que permite detenção de migrantes

O tema da imigração nos Estados Unidos é um assunto que permeia as conversas diárias do americano comum, ganhando ainda mais destaque em anos eleitorais, como o atual. Recentemente, esse debate foi intensificado com uma decisão judicial que temporariamente bloqueou uma lei texana que permite detenção de migrantes, gerando discussões sobre os limites da autoridade estadual em questões migratórias. A lei em questão, aprovada pelo Legislativo texano e sancionada pelo Governador Greg Abbott em dezembro de 2023, buscava permitir a detenção, prisão ou expulsão de migrantes que atravessassem a fronteira por pontos não autorizados e permanecessem no estado fronteiriço com o México. Baseando-se no que Abbott chamou de direito constitucional do Texas de se defender contra uma “invasão”, a legislação refletia preocupações locais diante dos recordes de travessia de migrantes, principalmente da América Latina. No entanto, o juiz de primeira instância, David Ezra, suspendeu os efeitos da lei, argumentando que os estados não têm autoridade para exercer controle migratório além do que é concedido pelo governo federal. Ele afirmou que a legislação texana entrava em conflito com aspectos-chave da lei migratória federal e poderia afetar as relações exteriores dos Estados Unidos. Além disso, destacou que imigração não deve ser equiparada a uma “invasão” e que o Texas não está em guerra. Desfecho sobre a lei texana que permite detenção de migrantes O Governador Abbott anunciou planos para recorrer da decisão de impedir a lei texana que permite detenção de migrantes, esperando que a Suprema Corte dos Estados Unidos avalie o caso. Enquanto isso, as discussões sobre imigração continuam a se desenrolar nos EUA, com expectativas de que a questão se expanda ao longo deste ano e nos anos futuros. Em uma terra conhecida como a terra da oportunidade, o desfecho desse debate é aguardado por muitos. O debate sobre imigração é complexo e multifacetado, envolvendo questões legais, políticas, econômicas e humanitárias. Enquanto os líderes e legisladores buscam encontrar soluções, é importante lembrar o impacto que essas decisões têm sobre a vida de milhares de pessoas em busca de uma vida melhor. Afinal, os Estados Unidos continuam a ser um farol de esperança para muitos em todo o mundo. Referências: Juiz dos EUA bloqueia lei do Texas que permite detenção de migrantes (uol.com.br) Escrito por Victor Braga de A. Mendonça, Advogado Imigratório da Drummond Advisors

Debate Sobre Imigração nos EUA: Juiz americano impede aplicação da lei texana que permite detenção de migrantes Read More »

Brasileiros que pretendam viajar pelos aeroportos internacionais do México deverão portar o visto mexicano

A partir de 22 de outubro de 2023, os cidadãos brasileiros e outras nacionalidades que pretendam viajar em trânsito pelos aeroportos internacionais do México deverão portar o visto mexicano para que seja permitido embarcar em qualquer voo com destino ao México. Não necessitarão de visto mexicano as pessoas estrangeiras que viajem para o território mexicano portando um dos seguintes documentos:   a) Pessoas portadoras de passaporte o um documento que comprove sua residência permanente no Canadá, Estados Unidos da América, Japão, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, qualquer um dos países que compõem o Espaço Schengen, bem como os países membros da Aliança do Pacífico (Colômbia, Chile e Peru).  b) Pessoas portadoras de um visto válido e vigente para o Canadá, Estados Unidos da América, Japão, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte ou qualquer um dos países que compõem o Espaço Schengen.  Fonte: https://embamex.sre.gob.mx/brasil/index.php/servicios-consulares/visas 

Brasileiros que pretendam viajar pelos aeroportos internacionais do México deverão portar o visto mexicano Read More »

Brasileiros precisam de ETIAS para entrar em países do Espaço Schengen em 2024

A partir de janeiro de 2024, todos os portadores de passaportes de países que atualmente não necessitam de visto de visita (períodos máximos de 90 dias em um período de 180 dias) para entrar na União Europeia[1], como é o caso do Brasil, e que pretendam viajar aos países do Espaço Schengen[2] deverão obter uma permissão eletrônica através do Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagens (ETIAS). Somente menores de 18 anos e maiores de 70 anos estão dispensados de requisitar a autorização. Com a exigência da autorização eletrônica, teremos alguns passos a serem cumpridos, tais como o preenchimento de formulário e checagem das informações providas no sistema, somente após aprovação, o ETIAS será regularmente emitido, em alguns casos excepcionais poderá ter o seu prazo de análise efetuado em até 30 dias. Uma vez emitido o ETIAS, ele será válido por até 3 (três) anos ou até o passaporte expirar, aplicando-se o prazo que for menor. O ETIAS estará vinculado ao passaporte informado no momento da requisição da autorização, e será verificado no momento do embarque e no controle de entrada fronteiriço, sempre que o viajante entrar nas fronteiras externas do Espaço Schengen com a finalidade de visita (turismo ou negócios). Vale mencionar que o ETIAS não se aplica nos casos em que o visto já é requerido para outros fins, em hipóteses de estudo, trabalho ou estadias maiores de 90 dias em um período de 180 dias. Precisa de uma assessoria para obter seu ETIAS ou o seu visto para Europa? Entre em contato com a nossa equipe da Drummond Advisors. Fonte: Comissão Europeia Escrito por Eduardo Giugliano e Ana Gabriela Francelli [1] A lista dos países que têm isenção da obrigação de vistos pode ser encontrada em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/HTML/?uri=CELEX:32018R1806&from=EN [2] Os países que integram o espaço são: Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia e Suíça.

Brasileiros precisam de ETIAS para entrar em países do Espaço Schengen em 2024 Read More »

Como imigrar para os EUA sem a necessidade de uma oferta de trabalho

Louanni RibeiroVictor Braga A grande maioria das aplicações para residência permanente nos Estados Unidos, os famosos Green Cards, são condicionadas à existência de alguma pessoa ou empresa que apresente uma oferta de trabalho ao/à requerente à residência permanente. Isso significa que o profissional que pretende residir nos Estados Unidos geralmente precisa de um vínculo familiar ou empregatício para cumprir os critérios mínimos para a aplicacao perante a USCIS. As exceções a essa regra estão em dois tipos de aplicações que comumente são chamadas de “aplicações por habilidades”, nas quais requerentes ao Green Card devem comprovar que possuem habilidades extraordinárias ou habilidade excepcionais dentro das suas áreas de atuação. Essa comprovação é feita por meio de critérios específicos estabelecidos pela legislação imigratória americana e fica sob análise discricionária dos agentes imigratórios. Aplicação por habilidades extraordinárias (EB1-A): Para esse tipo de aplicação o/a requerente deve comprovar que ele ou ela está dentro dos 10% dos profissionais mais qualificados e renomados da sua área de atuação. Isso significa que indivíduos elegiveis ao EB1-A precisam comprovar que além de uma performance assídua enquanto profissional de determinado ramo, ele/ela é uma referência para o mercado, atuando como indutores da área e ditando tendências. Os aplicantes de EB1-A precisam comprovar, por meio de documentação sólida, ao menos três dentre os dez critérios estabelecidos pela legislação imigratória americana, sendo eles: Caso você queira saber mais sobre a solicitação de residência permanente nos Estados Unidos por meio do EB1-A, clique aqui. Aplicação por habilidades excepcionais (EB2 National Interent Waiver – NIW): Esse tipo de aplicação tem por foco profissionais com alto grau de escolaridade ou que já atuam há um tempo considerável em sua área de expertise (10 anos ou mais). Esses profissionais devem ainda demonstrar que a sua presença nos Estados Unidos será benéfica ao país, suprindo alguma carência do mercado americano e/ou agregando valor aos EUA. Para esse tipo de Petição, o/a requerente deve comprovar que ou (i) possui grau acadêmico de Mestrado ou graus superiores a este (Doutorado ou Pós-doutorado), ou (ii) possui três dentre os seis critérios objetivos estipulados pela legislação imigratória americana. Além disso o/a requerente deve de cumprir plenamente os três critérios subjetivos estabelecidos pelo caso DHANASAR de Dezembro de 2016. Caso você queira saber mais sobre a solicitação de residência permanente nos Estados Unidos por meio do EB2 NIW, clique aqui. Frente a todo exposto, percebe-se que ambas as categorias de Green Card são excelentes soluções para profissionais com carreiras já bem estabelecidas. Aqui na Drummond nós sempre afirmamos que existe uma solução imigratória para cada indivíduo, condizente com a realidade de cada um, por isso, mesmo que as “aplicações por habilidades” não sejam as mais adequadas para o seu perfil, temos a certeza de que poderemos lhe apresentar diversas outras opções imigratórias. Para saber mais sobre as categorias imigratórias citadas, ou para conferir o vasto cardápio de opções imigratórias, entre em contato conosco através dp chat disponível ou no email info@drummondadvisors.com, será um enorme prazer lhe assessorar nesse jornada.

Como imigrar para os EUA sem a necessidade de uma oferta de trabalho Read More »

Cônjuges dependentes de indivíduos transferidos com visto de trabalho L1 recebem autorização de trabalho automática, outorgada pelo CBP, em sua entrada aos EUA

Victor BragaLouanni Ribeiro Após a pandemia o sistema imigratório americano se viu em um cenário de muito atraso na adjudicacao e emissão de autorizações de trabalho para cônjuges com o status L2, os quais são dependentes de beneficiários do visto de trabalho L1. Nesse sentido, em março de 2022, a U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS) deu um passo significativo em direção à redução do ônus administrativo enfrentado por cônjuges de indivíduos em status L1 nos Estados Unidos; agora, esses cônjuges recebem autorização de trabalho automática ao entraram em território americano com o visto L2. Desse modo, o USCIS eliminou a exigência de os cônjuges em visto L2 passarem pelo processo complicado de solicitação de um Documento de Autorização de Emprego (EAD), possibilitando um posterior requerimento do Social Security Number (SSN), bem como o engajamento em trabalho, com ou sem remuneração, no modelo de mercado aberto dentro dos Estados Unidos. Cumpre ressaltar que essa alteração procedimental se deu de forma bastante simplificada por meio do formulário eletrônico I-94, documento do Customs and Border Protection (CBP) para controle de status emitido a todos os estrangeiros com vistos temporários a cada entrada nos Estados Unidos. Deste modo, desde a expedição dessa política revolucionária, o I-94 de cônjuges L2 consta a nomenclatura “L2S”. Esse novo código permite que o cônjuge possa trabalhar legalmente em território americano simplesmente apresentando seu I-94 válido. Essa mudança transformadora está destinada a melhorar consideravelmente a acessibilidade da autorização de trabalho para portadores de visto L2, efetivamente eliminando uma camada intricada de burocracia que anteriormente dificultava sua entrada no mercado de trabalho dos EUA. A modificação também tem implicações para os empregadores de indivíduos L1 que navegam pelas complexidades de transferir pessoal chave para os Estados Unidos. A nova simplicidade e eficácia, em termos de custo associadas à autorização de emprego para cônjuges, sob essa alteração de política, vem impactando positivamente as operações corporativas e estratégias de mobilidade. Além disso, vale ressaltar que houve também uma atualização de nomenclatura nos formulários I-94 para filhos dependentes de indivíduos L1. O novo código utilizado para filhos de indivíduos de L1 é “L2Y”, porém, mesmo com a mudança no código, os filhos L2 não se enquadram na abrangência desta política de autorização de emprego. O foco permanece inteiramente em melhorar as perspectivas de emprego para portadores de visto L2S, enquanto indivíduos com a designação L2Y permanecem inelegíveis para autorização de emprego. Em conclusão, a revisão de política decisiva do USCIS representa um esforço louvável para mitigar as complexidades administrativas e abrir caminho para um acesso mais fácil à autorização de emprego para portadores de visto L2. Essa mudança simboliza um passo crucial em direção à adequação das políticas de imigração às necessidades contemporâneas, à simplificação de processos e ao oferecimento de uma experiência mais ágil e menos onerosa para aqueles que buscam contribuir para a força de trabalho dos EUA. Referências bibliográficas: https://www.uscis.gov/newsroom/alerts/uscis-updates-guidance-on-employment-authorization-for-e-and-l-nonimmigrant-spouses https://www.uscis.gov/policy-manual/volume-2-part-i

Cônjuges dependentes de indivíduos transferidos com visto de trabalho L1 recebem autorização de trabalho automática, outorgada pelo CBP, em sua entrada aos EUA Read More »

Explicação sobre a Retrogressão de Vistos e Como Isso Atualmente Afeta o Processamento do EB-2 com Isenção por Interesse Nacional (NIW)

O processamento de vistos de trabalho é composto por duas fases gerais: (1) a fase baseada na análise de mérito, na qual o empregador que faz a petição (se aplicável), o estrangeiro e o emprego proposto a este estrangeiro são analisados com base nos critérios legais para vistos de trabalho aplicáveis; e (2) a fase de Processamento Consular (fora dos EUA)/Ajuste de Status (dentro dos EUA), na qual os beneficiários solicitam o benefício de imigração, ou seja, visto de imigrante ou o cartão de residente permanente (“Green Card“). O Congresso dos EUA estabeleceu limites para o número de vistos de imigrantes (vistos para residência permanente) que podem ser emitidos a cada ano para cada categoria disponível. Embora empregadores e estrangeiros não estejam impedidos de iniciar a “Fase 1”, a qual consiste na submissão de uma petição para análise do mérito, as cotas de vistos de imigrantes podem afetar a capacidade de avançar para a “Fase 2”, que é o que eventualmente leva ao Green Card. Após a aprovação de uma petição para análise do mérito, para que um estrangeiro receba um Green Card, um visto de imigrante precisa estar disponível para o requerente tanto no momento da solicitação quanto no momento da decisão. O Departamento de Estado dos EUA publica um Boletim de Vistos (“Visa Bulletin”) mensal que lista as datas de corte que regem a disponibilidade de vistos. Portanto, o Visa Bulletin determina mensalmente quais solicitantes são elegíveis para a submissão de Processamento Consular (fora dos EUA)/Ajuste de Status (dentro dos EUA), assim como quais solicitantes são elegíveis para a concessão do status de residente permanente. A capacidade de um solicitante de avançar para a “Fase 2”, Processamento Consular (fora dos EUA)/Ajuste de Status (dentro dos EUA), é determinada pela sua data de prioridade (“priority date”), estabelecida com base na data de recebimento da petição para análise do mérito. Se o priority date de um solicitante for anterior à “data de corte” publicada no Visa Bulletin mais recente, o solicitante é elegível para solicitar residência permanente. Atualmente, a partir de agosto de 2023, a categoria EB-2 enfrenta um fenômeno denominado “retrogression“, o que significa que existem atualmente mais petições para análise do mérito aprovadas do que vistos de imigrantes disponíveis. Como resultado, a “data de corte” para vistos EB-2, conforme publicada no Visa Bulletin mensal de agosto de 2023 do Departamento de Estado dos EUA, é 01 de abril de 2022, para todos os países, exceto China, Índia, México e Filipinas, que enfrentam tempos de espera mais longos. Isso significa que estrangeiros com petições EB-2 aprovadas com priority date anterior a 01 de abril de 2022 podem avançar para a “Fase 2”, que envolve o Processamento Consular (fora dos EUA)/Ajuste de Status (dentro dos EUA), resultando na emissão do tão aguardado Green Card. No entanto, estrangeiros interessados em petições de EB-2 com Isenção por Interesse Nacional (“National Interest Waiver – NIW”), especialmente aqueles bem posicionados para contribuir para Áreas Críticas e de Tecnologia Emergente, são aconselhados a submeter petições de EB-2 NIW, para estabelecer sua priority date. Conforme as circunstâncias permitam, indivíduos fora dos Estados Unidos podem buscar autorização de emprego nos Estados Unidos por meio de vistos temporários baseados em emprego enquanto aguardam a disponibilidade de um visto de imigrante (visto de residência permanente) com base em sua priority date para o EB-2. Se você acredita que se encaixa na descrição acima e busca imigrar para os Estados Unidos para continuar trabalhando em sua área, entre em contato com a Drummond Advisors para perguntas específicas sobre o seu caso. Para saber mais sobre o visto EB-2 NIW, clique aqui. Escrito por Christopher Costa e Victor Braga

Explicação sobre a Retrogressão de Vistos e Como Isso Atualmente Afeta o Processamento do EB-2 com Isenção por Interesse Nacional (NIW) Read More »

Golden Visa – Portugal

O ARI – Autorização de Residência para Atividade de Investimento, também conhecido como Golden Visa português, é uma autorização de residência especial em vigor desde 2012, acessível a investidores estrangeiros que tenham realizado investimento qualificado no país. O investimento pode ser feito diretamente pelo investidor pessoa física ou por meio de uma empresa unipessoal por quotas, devendo ser de pelo menos um dos tipos de investimento especificados por lei abaixo elencados. Para se qualificar, os investimentos devem ser mantidos por um período mínimo de cinco anos. Recentemente, a Assembleia de Portugal aprovou uma série de modificações na lei que rege o Golden Visa, extinguindo a possibilidade de obtenção do visto por meio do investimento em imóveis e transferência de capital sem propósito específico. Com isso, os tipos de investimentos elegíveis passam a ser: Constituição de Empresas: Transferência de Capital: Essas modalidades de investimento foram estabelecidas para atrair diversas categorias de investidores e cada modalidade possui requisitos específicos, como valores mínimos de investimento e criação de empregos, que devem ser atendidos pelos interessados em obter o Golden Visa. O investimento pode ser feito diretamente por uma pessoa física ou através de uma pessoa jurídica com sede em Portugal ou em outro Estado-membro da União Europeia. Os portadores do Golden Visa recebem autorização de residência temporária válida por 2 anos, renovada por períodos de 2 anos. A estadia mínima em Portugal é de 14 dias (consecutivos ou não) para cada período de 2 anos. Após 5 anos com autorização de residência temporária é possível solicitar Autorização de Residência Permanente ou então solicitar já a Cidadania Portuguesa, cumpridos os requisitos necessários. Os membros diretos da família do investidor, tais como cônjuge, filhos (se maiores de 18 anos devem ser solteiros e precisarão estudar no país) podem obter a residência temporária junto com o investidor. É possível também incluir os pais do investidor no pedido de residência como dependentes. Os portadores do Golden Visa desfrutam de benefícios como: Tem interesse em aplicar para Golden Visa? Entre em contato com a nossa equipe de Global Mobility da Drummond Advisors através do chat disponível ou no email info@drummondadvisors.com. Escrito por Clara Macedo, Eduardo Giugliano e Fabiana Guerra Leia também: https://drummondadvisors.com/2023/07/21/vistos-b-para-atletas/

Golden Visa – Portugal Read More »

Vistos B para atletas

Os Estados Unidos são um dos principais destinos para atletas de todas as modalidades esportivas devido à excelência das instituições esportivas americanas. Seja para competições, treinamentos ou eventos em geral, muitos atletas estrangeiros buscam obter o visto americano para ingressar ao país temporariamente e participar de atividades relacionadas ao seu esporte. Todavia, no momento de se iniciar a aplicação para o visto, muitos ficam confusos com as diferentes categorias disponíveis de vistos B para atletas (B-1, B-2, H-1B, H-2B, O-1, P-1 etc.) Cumpre adiantar que para que um atleta possa definir a categoria de visto não-imigrante a ser solicitada, é necessário estar claro alguns fatores: Considerando que muitos indivíduos já possuem em seu passaporte o visto B1/B2 estampado, nesse artigo trataremos especificamente sobre a aplicação dessa categoria B (B-1 e B-2), explanando como os atletas se enquadram nessa categoria à luz dos três fatores listados acima. De acordo com a U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS), o visto não-imigrante B-1 é elegível a pessoas que pretendem ir aos Estados Unidos participar de atividades comerciais ou profissionais de maneira incidental e temporária, como por exemplo: celebrar negociações ou participar de conferências ou eventos. Exigências do Visto B-1 Especificamente no caso de atletas, para que possam entrar nos EUA portando visto B-1 a exigência primordial é de que a atividade ou evento em que ele/ela participará nos EUA seja: Cumpridos os requisitos acima, o atleta pode ingressar normalmente em território americano com visto B-1 (ou B-1/B-2), tendo em vista que a vedação presente na legislação imigratória se dá ao recebimento de salário de alguma empresa ou entidade, ou qualquer remuneração em troca de aulas particulares e treinamentos. Assim, o atleta que entrar nos EUA com o visto B-1 não poderá performar atividades em troca de compensações monetárias cuja fonte é alguma empresa ou entidade americana. Vantagens e diferenças dos Vistos B para atletas A principal vantagem do visto B-1 frente às demais categorias de vistos para atletas é a não exigência de uma aprovação prévia através de petição à USCIS. Isso significa que o visto B-1 para atletas pode ser protocolado diretamente em Consulados americanos diminuindo, assim, custos e tempo de processamento. Além disso, cabe destacar as diferenças entre o visto B-1 e o visto B-2 para atletas. Embora o visto B-2, assim como o visto B-1, seja aplicado diretamente em Consulados americanos sendo também elegível para atletas que irão aos Estados Unidos para eventos e atividades específicos e temporários, ele é somente aplicável para atletas amadores. Desse modo, atletas amadores que pretendem participar de alguma competição esportiva ou que participarão em algum evento esportivo que possui natureza social ou beneficente, podem entrar nos Estados Unidos com visto B-2. Para atletas profissionais, por outro lado, é compulsória a entrada por meio do visto B-1.   Sendo assim, nota-se que o B-1 é a categoria de visto ideal para atletas profissionais que desejam participar em competições ou eventos esportivos ocasionais dentro dos Estados Unidos, sem que recebam remuneração de fontes americanas, enquanto o B-2 é a categoria de visto ideal para atletas amadores que desejam participar em competições ou eventos esportivos ocasionais dentro dos Estados Unidos, sem que recebam remuneração de fontes americanas. É possível, dessa forma, solicitar ao Consulado dos Estados Unidos mais próximo da residência do atleta emissão do visto B-1/B-2, que tem validade de 10 anos e autorizará a estadia pelo período máximo de 180 dias. Se o atleta já possuir visto B-1/B-2 estampado em seu passaporte e dentro da validade não será necessário solicitar novo visto B-1 ou visto B-2, basta informar na entrada aos EUA que o intuito da viagem é para participar de competições ou treinamentos de curto prazo, que cumprem os requisitos acima. No caso de as atividades que o atleta realizará nos Estados Unidos não se enquadrarem nos critérios descritos acima, seja para o visto B-1 seja para o visto B-2, ou no caso de haver a necessidade de permanecer em solo americano por mais tempo, há outras categorias de vistos que podem ser mais adequadas, como as citadas no início deste artigo (H-1B, H-2B, O-1, P-1, etc.). Se esse for seu caso, recomendamos que procure um advogado de imigração para orientações adequadas ao seu caso específico. Escrito por Fernanda Lana, Victor Braga e Fabiana Guerra Referências bibliográficas: https://www.uscis.gov/working-in-the-united-states/temporary-visitors-for-business/b-1-temporary-business-visitor https://uk.usembassy.gov/visas/non-immigrant-visa-faqs/members-of-the-entertainment-profession-and-athletes/ https://br.usembassy.gov/pt/visas-pt/vistos-de-nao-imigrantes/ Leia também: https://drummondadvisors.com/2023/03/13/brasileiros-passam-a-ter-autorizacao-de-residencia-automatica-em-portugal/

Vistos B para atletas Read More »

Anúncio Importante: Flórida publica nova legislação para combater imigração ilegal

Em 10 de maio de 2023, o Governador da Flórida, Ron DeSantis, assinou a Lei do Senado 1718, dando um passo significativo no combate aos efeitos da imigração ilegal no estado da Flórida. Essa legislação abrangente aborda vários aspectos do problema e tem como objetivo proteger os interesses dos empregadores e da comunidade em geral. Seguem as principais disposições do projeto de lei estadual: É fundamental que os empregadores no estado da Flórida entendam suas obrigações sob essa nova lei. Empregadores privados com 25 ou mais funcionários devem começar a utilizar o sistema federal E-Verify para verificar a elegibilidade de emprego de novas contratações a partir de 1º de julho de 2023. As agências públicas também devem utilizar o sistema E-Verify para esse fim. Gostaríamos de enfatizar que os empregadores devem verificar a elegibilidade de emprego de um novo funcionário em até três dias úteis a partir do primeiro dia de trabalho. Continuar empregando um estrangeiro não autorizado após obter conhecimento de seu status ilegal é estritamente proibido. Essa legislação representa um marco significativo no enfrentamento dos desafios impostos pela imigração ilegal. Agradecemos sua atenção e não hesite em entrar em contato caso tenha alguma dúvida ou precise de esclarecimentos adicionais. Escrito por Matheus Etrusco, Advogado Imigratório da Drummond Advisors

Anúncio Importante: Flórida publica nova legislação para combater imigração ilegal Read More »

Rolar para cima
Pesquisar