Contratações nos Estados Unidos

Conheça o mercado e oportunidades de carreira para PE e VC no Sul da Flórida

O sul do estado da Flórida tem atraído muitos investidores nos últimos anos. A cidade de Miami, por exemplo, é apontada por muitos como o “Novo Vale do Silício” devido ao seu grande potencial de negócios. Existem muitas opções de oportunidades de carreira para PE e VC no Sul da Flórida. Em webinar promovido pela Drummond Advisors, Pedro Drummond, sócio da Drummond, Ana Beatriz Duvivier, sócia da Fox Human Capital, e Júlia Souza, headhunter na Fox Human Capital, destacaram as ótimas oportunidades de negócios, as estruturas mais utilizadas e o perfil dos profissionais nessa região dos EUA. Como é o mercado no Sul da Flórida? A região é referência em turismo e no mercado imobiliário. O governo da Flórida oferece alguns incentivos, com o objetivo de atrair trabalhadores que querem evitar o alto custo de vida na Califórnia. “Se tem alguma empresa, startup, que está com programa de pesquisa, de desenvolvimento, elas recebem crédito, por exemplo, para abrir operação. Empresas que vão gerar emprego, acabam gerando bastante incentivo [por parte do governo] de impostos para elas conseguirem ir para lá”, destacou Júlia Souza.    Companhias renomadas abriram operação em Miami nos últimos anos, como exemplos temos: Softbank, Microsoft, Goldman Sachs, Spotify e Blackstone. Empresas brasileiras como a Suzano, Embraer, Gerdau também foram para Miami, no sul da Flórida Estruturação dos fundos e imigratório No webinar, os painelistas destacaram as estruturas de Limited Partnership e Limited Liabily Company (Club Deals) Sobre a diferença entre essas duas estruturas, Pedro Drummond mencionou que “essa primeira estrutura que eu apresentei [Limited Partnership] são estruturas mais sofisticadas, para valor maiores e em um investimento mais profissionalizado, em que eu tenho a chamada de capital e o investimento durante longos anos em várias investidas. É propriamente um fundo com a sua diversificação.” Já sobre a Limited Liability Company, Drummond destacou que “é uma versão simplificada de uma estrutura de VC (venture capital) ou de PE (private equity), os chamados Club Deals, e que a gente pode fazer isso e geralmente faz para deals menores, mais rápidos, mais direto, em que o deal é um só.” Pedro destacou que essa estrutura é extremamente flexível e “não tem a figura de general partner e limited partner, ela é formada por members”, dois exemplos apresentados foram o de members (investors) e member-manager or non-member manager. Qual o perfil os profissionais devem ter para conseguir melhores oportunidades de carreira para PE e VC? Alguns temas que o perfil abordou sobre perfis dos profissionais para PE e VC foram: Educação: universidades de referência e/ou MBA Conhecimento da indústria Networking Especialização Competitividade do mercado Pacote de benefícios e bônus Sobre as habilidades que um profissional deve ter para trabalhar na Flórida, para conseguir melhores oportunidades de carreira para PE e VC, Ana Beatriz Duvivier destacou os aspectos técnicos: “Uma pessoa tem que ter aquele aspecto técnico para trabalhar nisso, a pessoa acaba fazendo modelagem, análise das demonstrações financeiras das companhias que eles vão investir, valuation, vão monitorar e acompanhar toda diligência de um processo, ou seja, verificar se aquela empresa está “redondinha”, de acordo com o que está sendo ali prometido e dito para eles o que passa por diligência, o que passa por auditoria e outros tipos de advisors, jurídicos e muito mais.” Outras habilidades levantadas por Duvivier fora “preparar material para comitês de investimento para investidores e, claro, as habilidades de negociação, conforme você vai subindo ali a “escadinha” da sua carreira, é uma habilidade que vai sendo mais demandada”. Assista o webinar completo realizado pela Drummond Advisors em: https://www.youtube.com/watch?v=1LvcuJ8R98E Escrito por Marcos Ferreira, Assistente de Conteúdo da Drummond Advisors Leia também

Conheça o mercado e oportunidades de carreira para PE e VC no Sul da Flórida Read More »

Crédito Fiscal para Pesquisa e Desenvolvimento nos EUA

Uma das maiores oportunidades de redução de passivo fiscal que companhias estabelecidas nos EUA podem se beneficiar é o crédito relacionado a investimentos em pesquisas e desenvolvimento, estabelecida na Seção 41 do Código Tributário Americano (Internal Revenue Code). Este benefício é aplicável para empresas, independentemente do tamanho, desde que atendam aos requisitos listados abaixo: Desenvolvimento ou design de novos produtos ou processos; Melhoria de produtos ou processos existentes; Melhoria mediante protótipos e software; Contratação de designers, engenheiros ou cientistas para a projetos de inovação. Empresas com menos de cinco anos de receita e faturamento anual abaixo de $5M, que não estejam apurando lucro, também podem se beneficiar do crédito para pesquisa e desenvolvimento, tendo a possibilidade de aplicar este valor para abatimento de encargos sobre a folha de pagamento (Federal Insurance Contribution Act – “FICA”) Alguns exemplos de documentação suporte: Registro de folha de pagamento; Razões contábeis; Detalhamento de projetos; Outros documentos produzidos no curso normal do negócio. As seguintes despesas se qualificam para o crédito de pesquisa e desenvolvimento: Salários; Subcontratados; Matéria prima e materiais relacionados; Custos com equipamentos tecnológicos. Vale observar que somente estão qualificados para o crédito de pesquisa e desenvolvimento os gastos incorridos nos EUA. Para mais detalhes sobre a qualificação do crédito do P&D nos EUA, entre em contato com info@drummondadvisors.com. Escrito por Michel de Amorim, sócio na Drummond Advisors

Crédito Fiscal para Pesquisa e Desenvolvimento nos EUA Read More »

Secretaria de Certificação de Trabalho Estrangeiro lança estatísticas oficiais dos programas de PERM e LCA selecionados para o segundo trimestre de 2021

Por Juliana Dias e Louanni Cesário O Ministério de Trabalho (Department of Labor – DOL) divulgou estatísticas sobre o Programa de Certificação Permanente de Trabalho (Permanent Labor Certification – PERM) e o Programa de Aplicação de Condições de Trabalho (Labor Condition Application – LCA) para o primeiro e segundo trimestres do ano fiscal de 2021. A Secretaria de Certificação de Trabalho Estrangeiro (Office of Foreign Labor Certification – OFLC) lançou um abrangente conjunto de dados de divulgação pública (até o segundo trimestre do ano fiscal de 2021) retirados de informações submetidas por empregadores solicitando determinações e certificações de trabalho para o PERM e LCA (H-1B, H-1B1, E-3). Os arquivos de divulgação pública incluem todas as determinações finais do OFLC emitidas para esses programas no período que vai de 1º de outubro de 2020 a 31 de março de 2021, datas que compreendem o prazo para coleta de informações referente ao ano fiscal de 2021. O OFLC também divulgou estatísticas de programas selecionados para o segundo trimestre do ano fiscal de 2021 para os Programas PERM, H-1B, H-1B1 e E-3. Ao cumprir sua responsabilidade pelo processamento de taxa salarial predominante, certificação de trabalho e atestado de trabalho, o Office of Foreign Labor Certification gera uma grande quantidade de dados de programa que são úteis para uma ampla gama de partes interessadas externas, incluindo Congresso, pesquisadores, organizações de mídia, associações industriais, organizações de defesa dos trabalhadores e o público em geral. Como parte do compromisso do Departamento do Trabalho dos EUA em apoiar as metas de um governo aberto e transparente, o OFCL fornece acesso fácil a dados de imigração baseados em empregos organizados em três categorias principais: estatísticas selecionadas que disponibilizam dados trimestrais cumulativos por programa de imigração; publicações cumulativas trimestrais e do ano fiscal de dados de divulgação do programa; e histórico do programa anual do ano fiscal e informações do relatório de desempenho. Acesse os arquivos de divulgação pública e os modelos de registro correspondentes contendo descrições detalhadas de cada tipo de dado disponível. Acesse as estatísticas selecionadas apresentando as principais informações do programa clicando aqui e aqui.

Secretaria de Certificação de Trabalho Estrangeiro lança estatísticas oficiais dos programas de PERM e LCA selecionados para o segundo trimestre de 2021 Read More »

Estudantes norte-americanos e Covid-19: novidades imigratórias

O Programa de Estudantes e Intercâmbio de Visitantes (Student and Exchange Visitor Program –SEVP) foi profundamente afetado pela pandemia de COVID-19 devido às proibições de viagens e à redução de operações em embaixadas e consulados em todo o mundo. Por isso, fique atento às principais orientações do SEVP em vigor: Apesar da restrição legal à participação de portadores de vistos das categorias F e M em aulas on-line, a orientação atual permite uma exceção temporária para aqueles que estavam matriculados em uma escola nos EUA em ou antes de 9 de março de 2020. A exceção temporária se aplica àqueles que (i) estão com status ativo no SEVIS (Student and Exchange Visitor Information System) em ou antes de 9 de março de 2020; (ii) permaneceram nos Estados Unidos com status ativo para iniciar um novo curso ou programa de estudos; e (iii) estão matriculados em aulas totalmente online dentro ou fora dos EUA. Apenas um dos critérios mencionados é necessário para que o aluno seja beneficiado com essa exceção. Os estudantes das categorias F e M que estão fora dos EUA e cujo status inicial (i-20) está programado para começar depois de 9 de março de 2020, não terão permissão para entrar nos Estados Unidos para cursos totalmente on-line. No entanto, programas híbridos (um programa de estudo que inclui atividades presenciais e on-line) aprovados são permitidos. Estudantes inscritos em CPT (Curricular Practical Training) e OPT (Optional Practical Training), incluindo os cursos de OPT das áreas STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), podem trabalhar de forma remota dentro ou fora dos Estados Unidos, e estarão sujeitos a inspeção por parte de seu empregador utilizando meios eletrônicos. Se você está nos Estados Unidos com um visto de estudante neste momento, você precisa estar a par destas informações: Os funcionários da escola devem submeter um plano de mudança de procedimentos ao SEVP detalhando os procedimentos alternativos da escola durante a pandemia. Os estudantes devem realizar os procedimentos alternativos devido à pandemia da instituição enquanto estiverem no local. O formulário I-20 deve conter texto dizendo: “Fora dos Estados Unidos devido ao COVID-19” se o aluno estiver fora dos EUA. Também é importante destacar os desafios à nossa frente enquanto perdurar essa crise global: Não está claro se os alunos que estão fisicamente presentes nos EUA mas que não estavam ativamente matriculados em uma escola dos EUA em 9 de março de 2020 podem participar de um curso 100% on-line. Para os alunos atualmente participando do OPT ou STEM OPT, os períodos de desemprego permitidos de 90 dias/150 dias continuam em vigor. Considerando que o formulário I-765 só pode ser preenchido enquanto o aluno estiver em território estadunidense, os alunos que estão no último ano e não podem retornar aos EUA podem perder a oportunidade de se inscrever para o Treinamento pós-conclusão (OPT). Algumas soluções possíveis em relação ao regime atual do SEVP, entretanto, podem ser apontadas: Como o Departamento de Estado classificou os vistos de estudante como de “alta prioridade”, é possível que os estudantes com necessidades urgentes de deslocamento obtenham a aprovação. É altamente recomendável consultar o site da embaixada ou do consulado sobre a situação atual do processamento de vistos. Os funcionários do consulado estão autorizados a dispensar a exigência de entrevista pessoal para aqueles que solicitam um visto de não imigrante na mesma categoria — estudantes que precisam renovar os vistos F ou M, por exemplo. Por fim, é relevante mencionar que muitas acomodações foram feitas, soluções estão sendo implementadas e as vacinas são uma realidade — portanto, podemos ter esperança de que em breve dias melhores chegarão para os estudantes. em breve dias melhores para os alunos. Para mais informações, clique aqui.

Estudantes norte-americanos e Covid-19: novidades imigratórias Read More »

Prazo para Assembleia Geral Ordinária de Sociedades Anônimas tem prazo prorrogado para 31 de julho

Nos termos do art. 1.078 do Código Civil brasileiro e do art. 132 da Lei 6.404, popularmente conhecida como “Lei de S/A”, é de obrigatoriedade das sociedades anônimas a realização anual de Assembleia Geral Ordinária (AGO). Regularmente, a assembleia deve ocorrer nos quatro primeiros meses seguintes ao término do exercício social. Excepcionalmente neste ano de 2020, a Medida Provisória Nº 931 estendeu esse prazo para sete meses, com data final em 31 de julho de 2020. O objetivo é reunir acionistas para a tomada de contas dos administradores, deliberação sobre as demonstrações financeiras, eleição ou reeleição dos administradores e deliberação sobre a destinação do lucro líquido ou prejuízo do exercício. Os administradores devem comunicar, em até um mês antes da data marcada para a realização da AGO, por meio da publicação de anúncios, uma lista de documentos, para acesso de seus acionistas, como previsto no art. 133 da Lei de S/A, como: relatório da administração sobre os negócios sociais; a cópia das demonstrações financeiras; o parecer dos auditores independentes (se aplicável); o parecer do conselho fiscal (se aplicável), assim como demais documentos pertinentes. A primeira convocação da AGO para as S/As deve ter 15 dias de antecedência da data de seu agendamento, devendo observar requisitos legais de prazo e conteúdo, sob pena de anulação da assembleia. Ademais, a convocação deverá ser realizada em edital publicado em 3 edições, no Diário Oficial da União ou em jornais estaduais. A realização tempestiva da assembleia é crucial. Para companhias fechadas, a AGO tardia pode implicar na responsabilização dos administradores, caso venha a acarretar prejuízos ao patrimônio da Companhia ou prejudique terceiros de forma direta (art. 159 caput e §7º da Lei de S/A).

Prazo para Assembleia Geral Ordinária de Sociedades Anônimas tem prazo prorrogado para 31 de julho Read More »

Decreto n. 9.904 reduz alíquota de impostos sobre exportadores de serviços

O Decreto n. 9.904, assinado pelo Presidente da República em 8 julho de 2019, dispõe sobre a redução a zero da alíquota do imposto sobre a renda incidente sobre comissões pagas por exportadores a seus agentes no exterior. Com isso, a expectativa é do aumento de competitividade do Brasil no segmento de exportações. A alíquota zero recai sobre pagamentos realizados para fins de contratação de agentes no exterior, que atuam na intermediação de transações entre a empresa brasileira e seus clientes estrangeiros, assim como sobre a emissão de documentos realizada fora do Brasil. A redução da alíquota a zero já era prevista pelo Decreto n. 6.761/2009, o qual traz regramentos sobre a tributação referente aos valores pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos a residentes ou domiciliados no exterior, relativos a despesas com pesquisas de mercado, aluguéis e arrendamentos de estandes e locais para exposições, feiras e semelhantes no exterior, incluindo promoção e propaganda, no âmbito desses eventos, de produtos e serviços brasileiros, bem como a promoção de destinos turísticos brasileiros ou contratação de serviços destinados à promoção do Brasil no exterior. Com a introdução do Decreto n. 9.904/2019, fica estabelecido que tais operações sejam registradas em sistemas mantidos pelo Ministério da Economia, como o Siscoserv, o qual estabelecerá regras complementares para esse fim, não sendo necessário o cadastro no site do Sisprom. Segundo o Ministério da Economia, estima-se que 12 mil exportadores de serviços podem se beneficiar da alíquota zero do Imposto de Renda. Caso sua empresa precise de auxílio para se adequar à nova regra, entre em contato com nosso time pelo e-mail info@drummondadvisors.com

Decreto n. 9.904 reduz alíquota de impostos sobre exportadores de serviços Read More »

Rolar para cima
Pesquisar