Aspectos Trabalhistas e Previdenciários da Transferência Internacional de Executivos

A transferência internacional de executivos é uma prática que vem ganhando cada vez mais mercado no meio corporativo, tanto por parte do empregador quanto do próprio empregado. Seu propósito pode incluir o desenvolvimento de habilidades e experiência internacional dos funcionários, a estratégia de expansão de negócios e o fortalecimento do relacionamento entre empresas. De acordo com Hofstede (1980), a transferência internacional de funcionários pode ser vista como uma oportunidade para aumentar a compreensão intercultural e desenvolver um senso de globalização dentro da empresa e, eventualmente, promover negociações efetivas em nível internacional.

No entanto, a questão dos aspectos trabalhistas e previdenciários envolvidos nesse processo é um tema complexo e que demanda atenção especial das empresas e dos profissionais envolvidos. Desse modo, o presente artigo se debruçará sobre a situação de executivos de empresas brasileiras transferidos para atuação em filial no exterior, ora em caráter definitivo, ora em caráter provisório e, não raras vezes, que se submetem a constantes deslocamentos ao exterior e retorno ao Brasil.

Sendo assim, tem como objetivo abordar as principais questões relacionadas às implicações trabalhistas e previdenciárias da transferência internacional de executivos, buscando fornecer informações e orientações úteis para os gestores e profissionais de recursos humanos que atuam em tal conjunto de operações. 

O artigo completo está disponível em: https://drive.google.com/file/d/1aaKPCbvfKUb–nFDwFK2YDhFZ4URNCYN/view?usp=sharing

Rolar para cima
Pesquisar